Escola de Governo

Desenvolvimento, Democracia Participativa, Direitos Humanos, Ética na Política, Valores Republicanos.

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

Leonardo Boff: Papa Francisco não tinha motivo para vir ao Brasil apoiar 'golpista'

E-mail Imprimir

Para teólogo, ao recusar convite para visitar o Brasil, papa é coerente com opção pelos pobres: "Por causa disso ele não quis visitar a Argentina de Macri"

Eduardo Maretti, da RBA *


São Paulo – “O papa não tinha nenhuma razão para vir ao Brasil, apoiar um golpista. Ele é muito coerente com a opção que tem pelos pobres, pelos que sofrem violência e são marginalizados. Por causa disso ele não quis visitar a Argentina de (Mauricio) Macri. Por essa mesma razão ele não quis visitar o Brasil sob Temer.” A declaração é do frei e teólogo Leonardo Boff, sobre a carta enviada pelo papa Francisco ao presidente Michel Temer, recusando o convite para visitar o país para as celebrações dos 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida.

 

O escândalo dos juros

E-mail Imprimir

(Dados básicos sobre operações de crédito do sistema financeiro – Comentário sobre a nota do Banco Central do Brasil, 23.2.2017) http://www.bcb.gov.br/htms/notecon2-p.asp )

18 de março de 2017

O volume de recursos extraídos da economia por meio dos juros é absolutamente escandaloso, e não encontra paralelo no mundo. Aqui, em pouco mais de uma página, os dados básicos, qualquer um que já se endividou entenderá. A base são informações oficiais tais como publicadas pelo Banco Central, sobre “Operações de crédito do sistema financeiro”, e anexamos a própria nota do Banco para que possam ser checados, precaução necessária nesta era de ceticismos com números.

I – Comentário sobre os dados

O montante de crédito em mãos de pessoas físicas e de pessoas jurídicas, ou seja, o estoque de dívidas das famílias e das empresas em janeiro de 2017 era de 3.074 bilhões de reais, o que representa uma relação crédito sobre PIB de 48,7%. Não é particularmente elevado. Esta dívida se reparte basicamente meio a meio entre PJe PF: respectivamente 1.508 e 1.565. Outra repartição é entre crédito livre e crédito direcionado, respectivamente 1.532 e 1.541 bilhões, também meio a meio.

O montante da dívida não é particularmente elevado, pelo contrário, em comparação com outros países onde frequentemente ultrapassa os 100% do PIB. O escândalo está nos juros. Fazendo a média entre crédito livre e crédito direcionado, para PF e PJ, o BC apresenta o juro médio de 32,8%. Ou seja, o juro extraído do estoque de 3.047 bilhões de dívida é de 1 trilhão de reais por ano. Trata-se do montante que famílias e empresas pagam com juros, e que deixa de se transformar em consumo ou em investimento pelo setor privado da economia. Isto representa 15% do PIB, apropriado pelo próprio sistema de intermediação financeira.

 

"Reforma da Previdência vai levar pobres a um patamar de miséria", diz padre

E-mail Imprimir

Além de padres, bispos e até o papa Francisco estão se posicionando contra a medida do Governo Temer

Fania Rodrigues

Rio de Janeiro (RJ)

Frei Alamiro diz que padres e pastores devem defender seus rebanhos das injustiças / Foto: Igreja Católica

 

Trump quer a guerra - e conquista o establishment

E-mail Imprimir

NUNO RAMOS DE ALMEIDA

Quais são os verdadeiros alvos dos ataques dos EUA na Síria e Afeganistão e ameaças à Coreia do Norte? É Damasco, Teerã e Pyongyang, ou seremos nós?

Por Nuno Ramos de Almeida

 

O impeachment que piorou o Brasil

E-mail Imprimir

Após a sessão que deflagrou o processo de afastamento de Dilma, população sofre com crise econômica e perda de direitos

Brasília (DF)

Sessão extraordinária da Câmara dos Deputados do dia 17 de abril de 2016 foi marcada pela polarização / Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

 

"Um ano de Golpe e Greve Geral em 28 de Abril"

E-mail Imprimir

Texto citado na rádio 9 de julho por Isabel Rodrigues, em uma parceria com a Escola de Governo.

No dia 17 de abril completou um ano que a nação brasileira assistiu a votação do impeachment da Presidente Dilma Roussef na Câmara dos Deputados. Os mais atentos, mesmo os que ansiavam pela saída da presidente estranharam e criticaram o posicionamento da grande maioria dos deputados que votou em nome de seus familiares. Não faltaram decisões pelo sim, em nome de filhos, netos, esposas, indicando que a preocupação com a nação brasileira está longe de ser realidade. 
Passado um ano da votação do impeachment perguntamos: o que mudou de fato em nosso país? A promessa que relacionava a saída da presidente Dilma com o fim da corrupção ocorreu em algum nível? Como explicar a lista infindável daqueles que hoje ocupam o governo e estão totalmente implicados na Operação Lava Jato? A quem o Golpe está servindo? 
Se levarmos em consideração que o poder executivo, legislativo e judiciário devem atuar em favor da democracia, faz-se necessário indagar: ao lado de quem esses poderes estão? Michel Temer tem pressa e se mostra ávido em promover mudanças que retiram dos brasileiros os direitos conquistados com muita luta. Retira o direito a aposentadoria digna, terceiriza as atividades fins, sucateia ainda mais a saúde e a educação congelando os investimentos nestas áreas por vinte anos, além de que vem sendo mandatário de diversas outras ações que só pioram a crise, aumentam o desemprego e pioram sobremaneira a situação do povo. 
Segundo Temer, a prerrogativa para a reforma da previdência é que se não ajustar a aposentadoria dos brasileiros o país segue no desperdício. Outro erro fatal cometido pelo atual presidente é relacionar o corte dos direitos sociais como uma necessária economia. Por outro lado, perdoa dívidas grandiosas dos bancos causando grandes prejuízos aos cofres públicos.

 

ENTRE EM CONTATO COM A ESCOLA!

Telefones: (11)3256-6338 / (11)3257-9618

E-mail: secretaria@escoladegoverno.org.br

ENDEREÇO:

Edifício da Ação Educativa - Rua General Jardim, 660 (sala 72), Vila Buarque, São Paulo (SP)

Veja no mapa


Importante

Sugestões para o Site
Compartilhe suas sugestões para melhorarmos o site da Escola de Governo.

Campanhas






Calendário de Atividades

loader

Enquete

Considerando-se que, no Brasil, o povo é o soberano e a Constituição Federal é a lei maior, você acredita que seria mais democrático se todos os Projetos de Emenda Constitucional (PECs) fossem obrigados a passar por REFERENDO antes de entrar em vigor?
 

Visitantes Online

Nós temos 329 visitantes online