Escola de Governo

Desenvolvimento, Democracia Participativa, Direitos Humanos, Ética na Política, Valores Republicanos.

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Escola de Governo / Escolas Conveniadas / Pelo buraco da fechadura (Filme: O amante da Rainha)

Pelo buraco da fechadura (Filme: O amante da Rainha)

E-mail Imprimir PDF

Um belo filme, O Amante da Rainha. No original dinamarquês, En Kongelig Affaere,soa um pouco mais sério. Em inglês traduziram como A Royal Affair, fiel ao original, mantendo o cunho político, mas jogando com o duplo sentido, de um caso político e de um “caso” de cama. Na nossa versão, sempre puxando para “aquele” lado, fomos mais explícitos: um dos principais transformadores políticos europeus, Struensee, que introduziu a liberdade de imprensa, aboliu a tortura e organizou a proteção aos mais pobres, isto décadas antes da revolução francesa, virou simplesmente “o amante da rainha”.

 Desde o papa Alexandre VI na devassa Roma, até o caso da cunhada no Brasil, passando pelo diretor do FMI que despencou da sua posição de presidenciável da França, o que importa realmente é a política vista pelo buraco da fechadura. Até na nossa mais alta corte de justiça, as pessoas devem lembrar, os julgamentos importantes para o país foram paralisados durante quase um ano pela discussão sobre se os membros femininos poderiam ou não se apresentar com calças, em vez do tradicional vestido. Muito importante. Perturbaria a serenidade dos supremos.

Temos aqui sólidas tradições. O governo do país mais importante do mundo se viu paralisado durante anos com a discussão, de alto teor ético, sobre se o presidente teve ou não um caso com a secretária. Um terço do PIB mundial está em paraísos fiscais, dinheiro de evasão fiscal, venda de armas, lucro de drogas, corrupção política e privada. Não é essencial. No planeta onde morrem anualmente 11 milhões de crianças por falta de assistência – e 11 milhões não é uma cifra, significa 11 milhões de vezes sofrimentos da criança e dos pais ao ver uma criança morrendo – o mais importante, naturalmente, era se o Presidente se deixou ou não seduzir pela secretária. O governo, o senado, a grande mídia, discutindo durante anos um assunto de alta relevância: comeu? Comeu mas não gozou, como foi amplamente discutido? Alta política.

Struensee, pela posição de influência junto ao rei da Dinamarca, introduziu durante um ano (essencialmente 1771) as reformas seguintes, entre outras: abolição da tortura, abolição do trabalho servil, abolição da censura de imprensa, abolição dos privilégios da nobreza, abolição da escravidão nas colônias dinamarquesas, criminalização das propinas, criação de estoques governamentais de grãos para cobrir anos de penúria e reduzir especulação com preços, reforma universitária, reforma da saúde pública, reforma agrária. Neste ano, foram 1069 decretos e leis, que constituem a raiz da modernidade democrática de hoje. O amante da rainha…

Os privilegiados não perdoam. Organizaram um golpe. Mas pessoas éticas organizam golpes com forte fachada legal e ética. Prenderam o Struensee, e em seguida o julgaram (o julgamento não aparece no filme), e o condenaram à morte com todas as formalidades. Em seguida formaram um gabinete que devolveu aos nobres e à igreja os velhos privilégios, inclusive a prática da tortura.  Felizmente, o herdeiro Frederick, atingindo a maioridade, e com a autoridade de soberano, reconstituiria mais tarde o essencial da herança de Struensee, gerando boa parte da democracia e liberdade que hoje conhecemos nesta região da Europa. Mataram o pai, mas a semente brotou.

Voltando ao assunto mais importante, o da cama. Para o golpe, foi feita intensa mobilização popular, com imensa campanha que aproveitou a liberdade de imprensa introduzida pelo próprio Struensee. Como não dava para atacar a sua política democrática, muito popular, fizeram intensa campanha, que não deixou nada a desejar ao que seria a campanha da direita contra Clinton, indo ao ponto essencial: ele comeu a rainha. Comeu a Nossa rainha! Um crime abominável. Deixou-se dominar por tendências criminosas, de lesa-majestade, por não resistir ao charme da rainha então de 20 anos. Para punir o amor, estes mestres da ética mostraram a sua dignidade.

Separaram os filhos da rainha, que foi exilada, deixando-a morrer solitária aos 23 anos de idade. Quanto a Struensee, foi decapitado, mas antes torturado, e também, coisa que não aparece por razões óbvias no filme, teve antes as mãos decepadas, e depois foi publicamente destripado. Em nome da ética. A parte da população que aderiu ao show sanguinário uivava de excitação. O amor infame estava punido. A restituição dos privilégios da nobreza foi tratada em gabinete, de maneira mais discreta. A chave da política, da política sem-vergonha, está no buraco da fechadura. Como diz a minha amiga Monika, o buraco da fechadura é o novo “circo para o povo”, enquanto nos bastidores a Política segue o seu rumo. ( L. Dowbor)

 

Inscrições para o curso Formação de Governantes 2017!

Venha fazer parte da 26ª turma do curso!

Clique aqui e inscreva-se!

O curso tem por objetivo trabalhar as bases para a Cidadania Ativa, aprofundar os conhecimentos acerca das Políticas Públicas e contribuir para que a/o aluna/o tenha uma visão generalista - e não especialista e parcial - da realidade política, social e econômica do Brasil. Dividido em dois módulos semestrais: “Bases para a Cidadania Ativa” (1° semestre) e “Políticas Públicas” (2° semestre). É pago, anual e oferecido às segundas e terças feiras, das 19h30 às 21h30.



ENTRE EM CONTATO COM A ESCOLA!

Telefones: (11)3256-6338 / (11)3257-9618

E-mail: escolagovernosp@uol.com.br

ENDEREÇO:

Edifício da Ação Educativa - Rua General Jardim, 660 (sala 72), Vila Buarque, São Paulo (SP)

Veja no mapa


Importante

Sugestões para o Site
Compartilhe suas sugestões para melhorarmos o site da Escola de Governo.

Campanhas