Escola de Governo

Desenvolvimento, Democracia Participativa, Direitos Humanos, Ética na Política, Valores Republicanos.

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Escola de Governo / Notícias / Percentual de adolescentes grávidas em Marsilac é 26 vezes maior que em Moema

Percentual de adolescentes grávidas em Marsilac é 26 vezes maior que em Moema

E-mail Imprimir

Este é um dos dados do novo Mapa da Desigualdade da Cidade, divulgado nesta terça-feira (24/10) pela Rede Nossa São Paulo.

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo

A nova edição do Mapa da Desigualdade da Cidade, divulgada nesta terça-feira (24/10) pela Rede Nossa São Paulo, escancara as enormes diferenças econômicas, sociais, culturais e de equipamentos públicos existentes entre os 96 distritos da capital paulista.

Um dos dados do levantamento revela, por exemplo, que o indicador de gravidez na adolescência é de 0,887 em Moema (na região nobre da cidade). Por outro lado, no distrito de Marsilac, no extremo sul da cidade, esse índice sobe para 22,88.

A diferença entre o melhor e o pior indicador, que o Mapa da Desigualdade chama de “desigualtômetro”, é de 25,79. Em outras palavras, o percentual de adolescentes grávidas é quase 26 vezes maior na região de Marsilac em comparação com Moema.

O indicador de gravidez na adolescência considerou o percentual de nascidos vivos em 2016 cujas mães tinham 19 anos ou menos, sobre o total de nascidos vivos de mães residentes.

Outro indicador que continua a despertar a atenção na versão atualizada do Mapa da Desigualdade é a idade média ao morrer. Em 2016, o melhor índice foi registrado no Jardim Paulista, distrito onde as pessoas, em média, morreram com 79,40 anos. Já no Jardim Ângela, região da periferia da cidade, as pessoas morreram, em média, com 55,70 anos.

O “desigualtômetro” entre os dois distritos (1,43) revela que o residente do Jardim Paulista vive, em média, 43% a mais que o morador do Jardim Ângela.

Esse indicador ganha ainda mais relevância nesse momento, em que o Congresso Nacional discute a proposta de Reforma da Previdência encaminhada pelo Governo Federal.

Comparando os diversos indicadores divulgados pela Rede Nossa São Paulo, é possível entender ainda que diversas desigualdades são cumulativas. O distrito com o pior índice de gravidez na adolescência, Marsilac, é também o de menor remuneração média por emprego formal.

De acordo com o Mapa da Desigualdade, em dezembro de 2015 (último ano disponível) a remuneração média dos habitantes daquela região foi de R$ 1.287,32. Na outra ponta, os moradores do Campo Belo, com R$ 10.079,98, receberam os melhores salários. O “desigualtômetro” entre o pior e o melhor indicador ficou em 7,83.

Confira aqui a apresentação do novo Mapa da Desigualdade da Cidade de São Paulo, que foi lançado nesta terça-feira (24/10) em evento público promovido pela Rede Nossa São Paulo, com o apoio da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).

 

Importante

Sugestões para o Site
Compartilhe suas sugestões para melhorarmos o site da Escola de Governo.

Campanhas